A ética jornalística

Reprodução/Internet

Reprodução/Internet

O jornalismo é uma profissão voltada para a informação.E alguns jornalistas fazem qualquer coisa para obter o sucesso na carreira. Infrigem a a ética jornalística publicando matérias que não são de sua autoria e sim de outras pessoas, que não recebem reconhecimentos por suas obras. A responsabilidade do jornalista é manter o mundo informado, sem emitir opinião ou editar noticias de forma tendenciosa, para que cada um tire sua conclusão do fato. Mas a história é outra.Vemos hoje alguns jornalistas “charlatões”, publicando matérias sensacionalistas, mentirosas, que muitas vezes vão contra a moral e a ética. O poder da mídia é sem limites , e com o poder, temos sempre que tomar cuidado. Quando mal exercido pode fazer muito mal para toda a sociedade.
Muitas vezes essa informação não tem permissão para ser publicada, alguns jornalistas, mesmo tendo consciência disso, publicam-na.
Essas informações que expostas sem o consentimento podem trazer grandes conseqüências para a vida das pessoas envolvidas,muitas delas não ligam porque sabem que a mídia gosta de aumentar sua fama. Mas, para outras podem deixam Seqüelas graves,marcando suas vidas para sempre.
Se por um lado, muitas pessoas têm por profissão aparecer em público, normalmente com o intuito de conseguir contratos publicitários, por outro lado jornais, revistas, e canais de televisão utilizam-se imagens chocantes ou sensacionalistas para aumentar as vendas e índices de audiência, por vezes infringindo a reputação e a honra das pessoas deixando a ética jornalística de lado. Mas não fica por isso mesmo não, há pessoas que não deixam barato e os processam por calúnias. Há alguns jornalistas que têm de responder a processos por calúnias e por cuidar da vida alheia. Mas, no meio disso tudo, ainda há jornalistas de bom caráter, que respeitam o código da moral e bons costumes no qual está envolvida sua profissão.
 
“A consciência é o melhor livro de moral e o que menos se consulta”.
(Blaise Pascal)